Jundiaí, terra das (boas) oportunidades

Com economia forte, pleno emprego, localização privilegiada e um ótimo índice de qualidade de vida, Jundiaí cresce e se firma como uma das cidades mais desejadas para viver no Brasil. Veja por quê:

Educação e cultura

Economia e investimento

Segurança

Meio Ambiente

Cinturão verde

Fretados e trem rápido

Educação e cultura

A cidade possui uma enorme rede de escolas públicas e privadas, faculdades, universidades e escolas técnicas que oferecem mais de 50 cursos em várias áreas, além de estar a 40 minutos da Unicamp e a 45 da USP. É muito forte também na área cultural. Prova disso são os lindos museus, como o Museu Histórico e Cultural de Jundiaí, o Ferroviário, o Fazenda Ermida, além de outros sete. Ainda conta com salas de apresentações, como a Glória Rocha e o Teatro Polytheama, e a Biblioteca Municipal.

Economia e investimento

A diversidade das mais de 900 indústrias instaladas na região faz com que Jundiaí não dependa do sucesso de um único setor. "Isso produz uma economia estável, robusta, com índices de crescimento bastante elevados", diz Mauritius Reisky Von Dubnitz, diretor do Ciesp – Centro de Indústrias do Estado de São Paulo – em Jundiaí. Segundo dados do IBGE, o município é a 23ª maior economia do País entre as cidades com mais de 300 mil habitantes e isso se traduz em empregos de alta qualidade, que rendem bons salários e benefícios. Apesar de sempre ter sido conhecida como a terra da uva e do morango – títulos que ainda sustenta – Jundiaí passou a acumular também o status de forte polo logístico por reunir excelentes condições de localização, armazenamento e transporte de mercadorias. Por fim, é importante mencionar sua completa infraestrutura de serviços e comércio. O Maxi Shopping, por exemplo, maior centro de compras da região, ganhará dois concorrentes de peso em breve: o JundiaíShopping, do grupo Multiplan, e o Iguatemi. Por isso, é certeiro afirmar que Jundiaí possui um dos maiores potenciais de valorização por metro quadrado do Brasil.

Segurança

Jundiaí tem baixo índice de criminalidade e está em quinto lugar entre os municípios mais seguros do Estado de São Paulo, segundo dados da Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan), com níveis comparáveis aos de Natal (RN), considerada por eles, a capital mais segura do país.

Meio ambiente

A cidade conta com várias ações da Prefeitura Municipal, como a coleta seletiva, que recolhe 450 toneladas de material reciclável por mês, e o Programa Cata- Treco, que retira cerca de 230 toneladas mensais de eletrodomésticos, eletroeletrônicos e mobílias das ruas. Jundiaí pode se orgulhar também de ser a cidade pioneira no País na proibição do uso das sacolas plásticas no comércio, o que evitou o descarte de cerca de 1.120 toneladas do material no meio ambiente desde agosto de 2010, quando a campanha começou. Pelo sucesso da ação e a aprovação de quase 80% da população, o município tornou-se referência para iniciativas similares em todo o Brasil.

Cinturão verde

Além de estar colado à Serra do Japi (uma das últimas reservas de Mata Atlântica do País), responsável pela ótima qualidade do ar da cidade e por manter sua temperatura agradável durante o ano (com médias de 20ºC), Jundiaí tem mais da metade de seu território coberto por matas nativas, trilhas, cachoeiras e parques, como Jardim Botânico, Reserva Biológica do Corrupira, Parque Botânico Eloy Chaves, Parque da Uva e Parque da Cidade, garantindo à sua população lazer e esportes próximos à natureza!

Fretados e trem rápido: soluções para quem trabalha fora da cidade

Quem se muda para Jundiaí e continua trabalhando em São Paulo, Campinas, Barueri e nas cidades do ABCD, além de outros municípios vizinhos, pode contar com uma das maiores frotas de ônibus fretados do País, que percorre a Rodovia dos Bandeirantes, a Anhanguera e o Rodoanel diariamente, em um trajeto seguro e rápido.Isso significa economia de gasolina e estacionamento, além de momentos livres para leitura e relaxamento. Outro projeto importante é o da construção do Expresso Jundiaí, trem rápido que fará o trajeto de 47 km entre a cidade e a capital em apenas 25 minutos. Segundo a Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM), responsável pelo projeto, o trem terá preços competitivos com os dos ônibus, e suas obras – que começam em 2013 – têm previsão de término em 2015. Ainda sobre facilidade de deslocamento, vale ressaltar que o aeroporto de Jundiaí está sendo ampliado e que a cidade fica a 25 minutos do aeroporto de Viracopos e a uma hora do de Cumbica.